Ciúmes: Por que eu sou uma pessoa tão ciumenta?

ciúmes

Alguém já te disse que você tem ciúmes demais?

Essa é uma reclamação comum, mas ninguém consegue explicar direito. Afinal, quanto de ciúmes é o bastante? O que faz algumas pessoas serem mais ciumentas do que outras? E como podemos controlar um sentimento tão forte?

São várias perguntas, e nós vamos discutir todas elas com calma, mas antes de começar eu queria saber se você já percebeu o quanto é comum ver pessoas bonitas e ciumentas.

É sério, eu não estou falando isso pra te agradar. Existe uma relação entre beleza e ciúmes, e estudá-la é um passo para fazer as pazes com todas essas dúvidas. Nós vamos ver porque isso ocorre, mas deixa só eu ter certeza de que estamos falando sobre a mesma coisa quando nos referimos ao ciúme.

O que é ter ciúmes?

Quando ouvimos essa pergunta, a tendência é pensar na pessoa amada trocando você por outro alguém. Talvez você também pense nas reações que acontecem ao sentir ciúmes: sair de si, perder o controle, e assim por diante.

Essas respostas não explicam muito bem o que é ciúme, e pra facilitar, nós vamos descrevê-lo de um jeito bem simples: ciúme é uma forma de insegurança.

É interessante perceber que ele não existe só no amor. Podemos ter ciúmes de amigos quando eles se divertem com outras pessoas, de colegas no trabalho que estão avançando na carreira e até mesmo dos nossos pais, acreditando que nossa irmã ou irmão recebem mais carinho.

Em resumo, o ciúme é uma insegurança de estarmos sendo trocados em qualquer situação, e mais ainda, de a outra pessoa ter algo que nos falta.

e-book traços de caráter roxo

 

Como a insegurança nasce?

Se você já conhece os traços de caráter, sabe que o medo de ser trocado ou traído é a dor do traço rígido. Ele é um traço de personalidade formado na mielinização do sistema nervoso, ainda na infância, quando a criança percebe que seus pais formam um par. Ela também nota outros casais no mundo, os tios, avós, amigos da família… existem vários pares, mas ela está sozinha.

Essa criança, normalmente, também vai perceber que a maioria dos pares ao seu redor é formada por pessoas diferentes – um homem e uma mulher. Por conta disso ela vai pensar em um par com alguém diferente dela, usando as pessoas que mais ama e que estão mais perto: o menino com a mãe e a menina com o pai.

O problema para essa criança é que um par já foi formado, e ela ficou de fora. Dessa forma, ela pode se sentir trocada pelo pai ou pela mãe, dando origem à insegurança de ser trocada outras vezes em sua vida adulta.

Você pode estar pensando: Luiza, como ter ciúmes pode estar ligado a um traço de personalidade, se todas as pessoas são ciumentas em alguma medida? Isso acontece porque os traços não são absolutos – cada um de nós tem um pouquinho do rígido, e portanto um pouquinho dessa insegurança.

Para algumas pessoas, no entanto, o traço rígido é o mais influente; e por isso a tendência é sentir mais ciúmes do que o normal. Aqui nós vamos definir “normal” como uma média, sem dizer o que é certo ou errado, afinal cada pessoa é única e não podemos traçar uma linha absoluta sobre o quanto de ciúmes ela deve sentir.

Qual a ligação entre beleza e ciúmes?

O nosso sistema nervoso molda o corpo de certas maneiras, levando em conta as primeiras experiências de cada pessoa e o que elas dizem sobre o mundo. O corpo, dessa forma, é construído para se adaptar a esse mundo percebido.

Se uma pessoa é insegura em relação às disputas por amor, carinho e atenção, o corpo que o sistema nervoso vai criar deve ser capaz de vencer essas “batalhas”. A saída é se desenvolver atraente, com formas bem traçadas e capazes de atrair qualquer olhar – em outras palavras, a saída é desenvolver a beleza.

Talvez algumas pessoas rígidas não se percebam dessa forma, já que a insegurança também pode se manifestar como auto estima frágil, mas é daí que vem a ligação entre beleza e ciúmes.

Por conta dessa relação, alguém pode ter te falado que os seus ciúmes não fazem o menor sentido, afinal você tem uma aparência que não deixa margem para qualquer disputa. Para o rígido, no entanto, não basta ouvir, é preciso ter certeza de que ele está no controle.

Ciúmes e triangulações

Você já viu uma pessoa que trai, mas é ciumenta? Em alguns casos a situação é ainda mais esquisita: a pessoa trai, mas tem ciúmes do/da amante.

Parece algo muito estranho, mas pela lógica dos traços de caráter é uma situação normal. O traço rígido, assim como todos os outros, não interfere apenas no corpo; ele também produz alguns padrões de pensamento e comportamento.

A insegurança que ele possui tem um efeito notável: a triangulação. Em resumo, pessoas com um traço rígido forte gostam de formar triângulos para ter a certeza de que, se uma opção deixá-lo, a outra estará disponível.

Isso pode valer para relacionamentos amorosos, por meio da traição ou da indecisão entre vários parceiros, mas também se aplica em outras esferas. No trabalho, por exemplo, ele pode ter um negócio paralelo “só por garantia” ou manter contato com outras empresas e ter um novo emprego engatilhado caso seja demitido.

O ato de triangular pode ser um combustível para o ciúme, pois faz o rígido pensar que a outra parte da relação também está agindo como ele, preparando novas opções e pensando em deixá-lo!instagram

Tudo isso vem da mesma fonte: a insegurança

Um impacto inesperado pode ser o fato de que, por estar se dividindo e não oferecer atenção integral a nenhuma das opções, o rígido acabe sendo deixado por ambas. Quando isso acontece, o medo cresce e nas próximas relações (amorosas ou não) os comportamentos tendem a ganhar intensidade, com triangulações mais evidentes ou ciúmes que fogem de controle, por exemplo.

Esse é um padrão comum, não apenas para o rígido. Todos nós podemos adotar um comportamento para evitar nossas maiores dores, mas ele faz com que elas ocorram novamente, e “prova” o que tanto tememos. É um ciclo que pode levar a grandes problemas, se não não tiver o controle.

Caso você perceba que está numa situação como essa, vivendo a mesma experiência de novo e de novo, com ainda mais intensidade em cada repetição, talvez seja hora de buscar ajuda. Que tal fazer uma mentoria de transformação gratuita, para identificar outros padrões que estejam te prejudicando, as causas deles, e as ferramentas para se libertar?

Dicas para controlar os ciúmes

Como já vimos, ter ciúmes é algo que está ligado à personalidade. Não podemos virar uma chave para ter controle, mas existem alguns comportamentos que podem amenizar a intensidade do sentimento e impedir que ele domine a nossa vida.

1. Perceba a origem e o desenvolvimento dos ciúmes

O ciúme que você sente hoje não surgiu na sua relação atual. Ele é fruto de experiências que vêm sendo acumuladas desde a infância, passando por seus relacionamentos (amorosos ou não) até chegar no momento atual.

Perceber esse desenvolvimento é uma forma de lidar melhor com seu parceiro ou sua parceira atual, por saber que você, assim como a outra pessoa, tem uma carga emocional e uma história de vida que não podem ser ignoradas.

2. Faça as pazes com o passado

Talvez uma traição no seu passado tenha fortalecido a insegurança, e agora você carrega essa “sombra” adiante. Projetar a imagem de uma relação anterior na relação atual é o caminho certo para ter problemas, e você deve evitar isso a todo custo.

Procure alguma forma de conclusão para essa história que te faz mal. Falar sobre ela com a parceira ou o parceiro atual pode ser um bom caminho; além disso, você também pode se abrir para amigos, buscar alguma forma de terapia, fazer uma daquelas viagens para limpar a alma… O que funcionar para você é bem vindo, desde que o fantasma da traição passada suma do seu presente.

3. Exercite o seu amor próprio

Busque entender e valorizar as suas qualidades, olhando para tudo que você oferece às pessoas que te cercam. Nós vimos que os ciúmes nascem da insegurança e da competição, por acreditar que o outro tem algo a mais. Esse jeito de ver o mundo pode criar uma “neura” de comparação constante, na qual olhamos tanto para os atributos da “competição” que esquecemos dos nossos.

Pense nas coisas que você tem, mesmo que pareçam bobas: seu prato especial, o gosto por filmes, as conquistas em sua vida. Dessa forma você fortalece a sua segurança, combatendo a causa número um dos ciúmes.

Procure também fazer coisas por si só, aprender mais sobre os seus gostos e descobrir o prazer da sua companhia. Que tal ir ao cinema por conta própria de vez em quando, ou começar aquele hobby que você sempre deixa pra depois? É essencial cuidar das necessidades dos seus traços de caráter.

e-book traços de caráter

4. Converse sobre os ciúmes

Não tem para onde correr: uma relação sem conversa vai acabar em distanciamento. Converse sobre os comportamentos da outra pessoa que aumentam a sua insegurança, as sensações e pensamentos que o ciúme te causa, e o que mais achar importante acerca do tema.

As conversas não devem ter o objetivo de mudar a outra pessoa, mas entendê-la melhor e fazer com que ela te entenda. A partir daí é possível criar alguns acordos que mantenham o bem-estar para os dois lados da relação e deixem ela ser guiada pelo companheirismo, não pelos ciúmes.

5. Descubra o que mais existe em você

O traço que causa os ciúmes é apenas uma das cinco forças que influenciam na sua personalidade, e não determina por completo o seu jeito de ser.

Um processo como a análise corporal vai te mostrar o que mais há em você, e como os outros traços podem ser usados para aumentar a sua segurança e manter o ciúme bem calminho, sem força para terminar mais um relacionamento!

Você pode agendar a sua mentoria gratuita comigo agora mesmo, e começar esse processo de transformação! Vamos lá?

e-book traços de caráter

ENTENDA SEUS TRAÇOS DE CARÁTER  E APRENDA A SAIR DA DOR

E-BOOK TRAÇOS DE CARÁTER + 2 bônus