Como vencer a Procrastinação: Dicas para os traços de caráter

procrastinação

Se há um tema que gera muita curiosidade, é a procrastinação. Todo mundo que adia tarefas quer saber que traços os procrastinadores têm, por que procrastinam e como evitar esse comportamento. E aí, será que o Corpo Explica como vencer a procrastinação?

É horrível sentir-se culpado por procrastinar, querer mudar e não conseguir. Os procrastinadores procuram cursos, livros, vídeos e palestras para entender as possíveis causas desse problema, o que muitas vezes acaba sem sucesso. A maior parte desses materiais foca em elementos externos, dando pouca atenção à experiência única das pessoas.

Muita gente condena o ato de procrastinar e condena ainda mais quem procrastina, sem saber, no entanto, o que está por trás disso. É muito fácil apontar o dedo e defender que procrastinar é ruim, mas isso não mostra como vencer a procrastinação.

Mas afinal, o que é procrastinação?

A procrastinação é, na verdade, algo muito necessário. Não agimos assim por preguiça ou má vontade. Para seu corpo e a sua mente, ela é uma forma de sobrevivência. A procrastinação é um jeito de se proteger, e existem dois fatores ligados ao ato de procrastinar.

Podemos pensar, nesse sentido, não somente em como vencer a procrastinação; mas em como fazer as pazes com ela. A ideia é percebê-la enquanto uma ferramenta, para usar quando precisarmos e deixar guardada nos outros momentos.

Voltando aos fatores, temos de início os próprios motivos que levam uma pessoa a procrastinar. Toda pessoa tem motivos próprios para isso. Talvez você não saiba quais são os motivos exatos, de forma consciente, mas sua mente guarda absoluta clareza sobre eles.

Em segundo lugar, precisamos entender também em que estamos procrastinando. Será que procrastinamos em coisas realmente necessárias e úteis para nós? Ou será que são apenas obrigações e ocupações sem utilidade real para o que estamos buscando?

Realmente, existem muitas coisas que não merecem o nosso tempo e atenção e o melhor para si mesmo é procrastinar. Na verdade, podemos dar outro nome a isso: Recusar! Mesmo que nem sempre a gente tenha coragem de dizer um não consciente para algo, o nosso corpo encontra uma forma de não cumprir essa tarefa, usando a procrastinação.

Isso acontece porque a dor de dizer “não” vêm à vista, quase sempre ligada ao medo de julgamentos. A da procrastinação, por outro lado, vem parcelada e sem ninguém por perto.

Para entender como vencer a procrastinação devemos questionar, primeiro, quais são os motivos que levam alguém a procrastinar.

A resposta é a mesma para os cinco traços: Evitar algo muito ruim para nós, que causaria uma grande dor.

e-book traços de caráter roxo

A procrastinação e os traços de caráter

Nosso corpo e mente se desenvolvem através de um processo paralelo de 5 etapas chamado de mielinização do sistema nervoso. Esse processo ocorre durante a nossa primeira infância, desde a gestação até os cinco anos de idade. Em cada etapa, nosso sistema nervoso registra uma grande dor existencial com base nas vivências e experiências que temos com o ambiente ao nosso redor.

A intensidade de cada dor é o que determina quanto de cada traço de caráter nós teremos no nosso corpo e mente. As cinco grandes dores existenciais são: rejeição, abandono, manipulação, humilhação e traição.

O sistema nervoso, portanto, molda o nosso corpo e nossa mente com recursos incríveis para evitarmos sentir essa dor. Em outras palavras, a formação dos traços de caráter e o desenvolvimento dos recursos do nosso corpo e mente são formas do sistema nervoso nos preparar para o mundo que ele percebe ao nosso redor.

E como vencer a procrastinação tem algo a ver com isso?

Nossos comportamentos e decisões, de forma consciente ou não, terão uma finalidade em comum. Elas buscam nos levar para o mais longe possível das cinco dores, sobretudo as que nos trazem mais insegurança. A procrastinação, portanto, é um desses padrões.

Perceba: Quando você está pensando em adiar algo, pode sentir um desânimo ou desconforto, uma vontade de se afastar para não lidar com aquilo ou talvez um aperto no peito, uma angústia, um desespero, uma sensação de estar preso…

Em síntese, o sistema nervoso te manda um sinal claro de que aquilo vai te aproximar das suas dores existenciais. Sendo assim, você deveria se manter o mais longe possível, certo?

Ter clareza sobre o que você está tentando evitar é o primeiro passo para entender melhor qual dor você sente e como vencer a procrastinação.

Essa clareza nos mostra o que leva cada traço de caráter a procrastinar!

Os traços são chamados esquizoide, Oral, Psicopata, Masoquista, Rígido. Como sempre avisamos, é importante considerá-los no contexto da nossa metodologia, sem associá-los com com doenças, distúrbios ou visões negativas.instagram

Traço Esquizoide

O esquizoide tem consigo a dor existencial da rejeição. Eles morrem de medo de serem rejeitados, porque a sua gestação foi difícil. Eles se sentiram assim dentro da mãe, mesmo que essa não fosse a intenção dela.

Por ter medo da rejeição, ele evita se expor e ter relacionamentos com outras pessoas, reduzindo as chances de sentir a dor novamente. Os esquizoides preferem ficar no espaço deles e ter um contato menor com o “mundo real”.

Caso você tenha esse medo de ser rejeitado e precise fazer alguma coisa que vai te expor, como gravar um vídeo, falar em público ou apresentar um seminário, por exemplo; como você se sentiria?

Desconfortável, talvez? E se você for rejeitado novamente? E se as pessoas nem quiserem te ouvir ou acharem a sua ideia ridícula? Imagine como deve ser horrível passar por tudo isso e sentir, novamente, a dor de ser rejeitado, e também a sensação de estar perdendo dinheiro por causa disso.

Por conta disso, procrastinar tudo que possa expor eles de alguma forma à rejeição é uma questão de sobrevivência. É interessante, portanto, evitar críticas apontando o dedo para pessoas com essas características, os chamando de folgados ou coisas do tipo – o que só estaria reforçando essa dor.

Ao invés disso, aproveite os recursos incríveis que ela possui, como a criatividade e a simplicidade para explicar as coisas. Focar nessas habilidades é um meio de conduzi-los adiante.

Traço Oral

Já o traço de caráter Oral sente o oposto disso. Ele não consegue ficar só, uma vez que a sua dor existencial é o abandono. Os orais morrem de medo de serem abandonados e ficarem sozinhos. Eles têm muita dependência emocional.

Durante a fase de amamentação eles se sentiram assim quando algo ruim acontecia. Os orais choravam pedindo socorro, e a mãe, mesmo com a melhor intenção, às vezes não conseguia chegar a tempo. Isso fez o seu sistema nervoso registrar a dor do abandono.

Os orais são emocionais e precisam de contato com outras pessoas. Tudo que eles sentem, bom ou ruim, é muito intenso.

É por isso que eles vão evitar tudo que provoque sentimentos ou sensações ruins, já que elas serão intensificadas e parecerão ainda piores. Em especial, tudo aquilo que pode afastá-los de algo ou alguém que é importante. É muito doloroso lidar com esse afastamento, ou término de namoro ou casamento, pois traz de novo a sensação horrível de abandonar ou ser abandonado.

Como lidar com essa dor?

Para um oral, não se sentir só ou abandonado é uma questão de sobrevivência. Eles preferem estar numa situação confortável, em que sintam coisas boas e estejam conectados, seja a lugares, pessoas, enfim, o que for importante.

Agora imagine como é tomar uma decisão que o afaste de algo ou alguém, ou agir sabendo que vai causar esse afastamento. Ter que lidar com um problema sozinho, sem poder pedir ajuda pra ninguém é muito difícil, desconfortável, desesperador.

É por isso que os orais procrastinam algumas atividades. Outras pessoas podem chamá-los de fracos, molengas, mimizentos e outros adjetivos péssimos que elevam ainda mais a sensação de impotência. Ao invés de falar esse tipo de coisa, acolha a pessoa, dê um abraço nela, escute seu desabafo.

Mostre que você se importa!

Muitas vezes, só de chorar, desabafar e sentir que alguém por perto se importa, a dor vai embora, ajudando ele a sentir que não está sozinho e abandonado. Com isso, o Oral consegue ativar seus recursos e fazer o que precisa ser feito.

Ao invés de se forçar a trabalhar sozinho, tente aproveitar seus recursos incríveis de comunicação e conexão com as pessoas. Trabalhar em equipe é uma boa ferramenta que quase sempre funciona com os Orais.

Traço Psicopata

Em relação ao Psicopata, a dor existencial pode ser caracterizada como manipulação. Os psicopatas morrem de medo de se sentirem manipulados ou usados. Quando eles começaram a ter as primeiras interações com o mundo, entenderam que só eram amados quando faziam algo que as pessoas queriam ou quando eram úteis de alguma forma.

Os psicopatas são muito observadores, estratégicos e desconfiados.

Eles desconfiam das intenções das pessoas e enxergam o mundo como um espaço de trocas. Como são bons em negociar, eles buscam sair ganhando em todas as interações, além de manter uma posição de poder na relação. É por isso que muitos psicopatas buscam cargos de influência, decisão ou liderança, para que eles ditem as regras e não sejam manipulados por elas.

Estar numa posição de obediência, se sentir em dívida ou lidar com uma troca em que eles saiam perdendo, ou ao menos não saibam o que vão ganhar, geralmente os deixa com uma “pulga atrás da orelha”, pois traz o risco de sentir novamente a dor da manipulação.

Por conta disso eles vão evitar se colocar ou se manter nesse tipo de situação. Imagine conviver com a dor de ser usado ou manipulado. Mesmo não querendo se sentir assim, o corpo fala, e é como se fosse automático olhar para cada pessoa com desconfiança, tentando ler as suas intenções.

Cada situação é como uma balança, onde o psicopata tenta entender se o que está sendo recebido e o que será oferecido em troca equilibram-se de alguma forma.

Como isso leva a procrastinar?

A razão por trás dos psicopatas agirem com procrastinação pode ser entendida quando essa possível troca já não está tão clara assim; quando ele percebe que não ganhará nada em troca daquilo que está sendo proposto ou quando está procurando alternativas para poder dar ou ganhar algo em troca.

Portanto, ao invés de acusar os psicopatas como interesseiros, egoístas ou frios, que tal jogar limpo com eles na hora de cumprir os acordos combinados? Que tal entender o lado deles e perguntar o que eles precisam receber em troca? Resumidamente, busque ter uma relação onde existe clareza objetiva.

Os psicopatas não são pessoas ruins. Eles possuem recursos incríveis e vão usar esses recursos para encontrar o melhor acordo em que todos saiam ganhando. Seja leal nos seus compromissos, e assim eles ficarão felizes em ajudar.

Traço Masoquista

Os Masoquistas possuem uma dor existencial caracterizada como humilhação. Eles têm medo de ser humilhados, julgados ou criticados. Ao longo da vida, os masoquistas procuram se segurar e controlar ao máximo para evitar situações em que possam se sentir humilhados e criticados de novo.

Para eles, é muito importante buscar aquilo que é seguro e previsível, pois, sendo mais garantido, evita erros e críticas. É por isso que os masoquistas são muito mais metódicos, gostam de processos e roteiros. Tudo aquilo que for novo, diferente ou fizer eles se sentirem inseguros, pode acarretar um afastamento ou uma “trava”.

É muito difícil um masoquista procrastinar, pois são pessoas muito comprometidas com foco na execução. Para chegar a esse ponto, é por que a tarefa gera uma insegurança muito forte. Enquanto essa insegurança não passar, ele não vai conseguir dar o próximo passo.

Imagine só, caso o masoquista faça algo de errado e seja criticado ou humilhado novamente, seu maior medo virá à tona. Ele vai evitar dar o próximo passo, podendo até mesmo criar objeções, detalhes e etapas adicionais para não ter que lidar com aquilo uma outra vez.

Os masoquistas também possuem dificuldades em dizer “não”.

Carregar o peso dos outros é algo muito desagradável para eles, ademais, os que possuem muito medo de serem julgados e humilhados acabam virando “burro de carga” ou lixeira emocional das pessoas. É por essas e outras questões que eles podem achar melhor inventar uma desculpa e procrastinar do que arrastar o peso dos outros.

Os masoquistas têm ótimos recursos: são leais, metódicos e buscam trazer resultados com eficiência. Para ativar esses recursos, é necessário que o mesmo se sinta seguro nos passos que está dando. Pense em maneiras de ajudá-lo a sentir essa segurança e não fique colocando peso em suas costas sem necessidade!

Traço Rígido

O traço de caráter rígido tem a sua dor existencial caracterizada como traição, troca ou exclusão. Os rígidos morrem de medo de serem comparados e trocados por uma opção melhor ou traídos, enganados, deixados de fora…

Eles se sentiram exatamente assim quando quiseram formar um par com o pai, no caso da menina, ou a mãe, no caso do menino. Formaram um triângulo de amor, em que eles eram a ponta mais fraca, e saíram perdendo.

Para nunca mais serem trocados por outra opção e sentirem a dor novamente, os rígidos desenvolveram um corpo atraente, com formas harmoniosas e uma mente ágil, competitiva e perfeccionista.

Acreditam que se eles forem perfeitos, serão a melhor opção disponível e não serão trocados. Se estiverem no controle, terão o poder de escolha. Por isso, toda situação que faça o rígido sentir que pode sair perdendo a disputa ou ser traído, enganado, sem o poder da situação, acarretará um estado de alerta.

Em situações assim, ele prefere nem se envolver. Para o rígido, é melhor não entrar na disputa do que entrar e perder, pois uma derrota vai fazer com que se sinta fraco, imperfeito, insuficiente e passível de ser facilmente trocado.

Os rígidos gostam de “jogar o jogo ganho” – situações que eles podem controlar ou vencer. Se percebem que não podem, preferem abandonar o jogo. É claro; nem sempre eles comunicam isso abertamente, especialmente quando têm medo de serem vistos como fracos ou incapazes.

Nesses casos, eles acham melhor dar um passo atrás e fingir desinteresse, e é aí que procrastinam. Por dentro, eles morrem de medo de admitir que não conseguem fazer ou que não querem mais ser vistos como insuficientes.

Sustentar essa imagem de perfeição pesa e dói demais para eles.

Os rígidos sempre possuem uma segunda opção disponível, assim, caso entre em alguma disputa no meio do caminho, ficando na dúvida se ainda conseguem ganhar, eles já terão um plano B. Ter essa segunda opção os deixa mais seguros, permitindo se dividir para não ter que se entregar por completo, pois isso deu errado lá na relação triangular com os pais.

Quando uma opção é claramente mais vantajosa que a outra, a decisão fica mais simples; porém quando as duas parecem igualmente boas e igualmente ruins, o rígido trava para decidir qual é melhor ou pior. Com medo de tomar a decisão errada, vai ficar adiando a decisão até não haver essa possibilidade.

É comum pensar que os rígidos são pessoas confusas e indecisas, mas não é nada fácil, para eles, lidar o tempo todo com o medo de serem imperfeitos ou trocados novamente; depender de uma única opção ou ficar sem nada.

Talvez você esteja sendo exigente demais com um rígido, sempre apontando as imperfeições dele, ao invés de reforçar e elogiar as coisas boas que faz!

Entendendo a si mesmo

Essas são algumas características que levam os cinco traços de caráter a procrastinar numa ideia ou ação. Quando você, leitor(a), se identificar com algum desses traços, lembre-se que a procrastinação é um mecanismo de sobrevivência da nossa mente.

Ademais, procure entender, de fato, quais são os traços de caráter mais fortes em você, realizando uma análise corporal. Assim você poderá enfrentar o medo primário e utilizar os seus recursos com mais seriedade.

Não há como vencer a procrastinação apenas com a força de vontade. Estes medos vão exercer uma força maior, pois estão enraizados em partes do cérebro que se agem antes de tomarmos uma decisão racional.

A alternativa é criar estratégias para realizar nossas atividades e objetivos evitando os medos existenciais, reformulando as situações para que eles não estejam presentes!

Procrastinação: Sintoma de algo muito mais grave

Acabamos de ver que pensar em como vencer a procrastinação talvez não seja a melhor ideia. É de extrema importância, também, entender que nem tudo em que você procrastina é necessário na sua vida, ou seja, você provavelmente está se sentindo mal ou culpado por procrastinar em algo que nem deveriam estar na sua lista de coisas a fazer.

Imagine que você instalou um alarme na sua casa e uma bela noite este alarme dispara. Você acorda assustado, desliga o alarme e volta a dormir. Cinco minutos depois, ele dispara novamente, você vai lá e desliga de novo. Isso se repete por muitas vezes…

O ponto é: enquanto você não resolver a causa por trás dos disparos, ele continuará disparando. Pensar em como vencer a procrastinação é a mesma coisa que ficar desligando alarmes sem resolver as causas.

A procrastinação é um mecanismo de sobrevivência que a mente desenvolveu para não revivermos uma grande dor. Ela é o alarme, e se você está procrastinando algo é porque existe uma causa sustentando esse comportamento.

Existem duas grandes causas que levam a procrastinar:

1º Dificuldade em dizer não

Será que você procrastina em coisas realmente necessárias e úteis para sua vida? Ou são apenas obrigações e ocupações que não possuem utilidade real para os seus objetivos?

São perguntas a se fazer.

A verdade é que existem muitas coisas com menor importância ou necessidade, podendo te colocar diante das dores básicas dos seus traços de caráter sem contribuir em nada para que você tenha uma vida melhor.

Quando alguém lhe pede para fazer alguma dessas coisas, você acaba caindo num dilema: dizer sim e acabar se comprometendo com algo que já sabe que não vai ser legal para você, ou dizer não e acabar revivendo as dores dos seus traços nessa relação com a outra pessoa.

Talvez você tenha a percepção que dizer não possa gerar conflitos, desconfortos e te fazer “perder pontos” com as pessoas.

Dizer não pode levar o outro a

Rejeitar: Esquizoide.

Abandonar: Oral.

Manipular ou chantagear: Psicopata.

Julgar ou criticar: Masoquista.

Comparar ou trocar: Rígido.

Estar nesse dilema é uma situação que gera muita insegurança. Em qualquer opção escolhida, você sairá perdendo. A sensação de perda pode ser maior, ou menor, dependendo da situação e da pessoa específica.

O tamanho da sua insegurança em dizer não costuma ser um bom termômetro. Existem situações ou pessoas que conseguem gerar mais insegurança em relação a outras.

Em casos onde a insegurança e a sensação de perda for maior, dizer sim acaba sendo a opção menos pior. Ainda assim, ela causa problemas, pois o que você perdeu vai gerar desconforto e ativar a dor de algum traço. Nesse processo, a procrastinação entra em cena como mecanismo de sobrevivência.

Você disse sim, mas como não quer realmente fazer aquilo, vai empurrando com a barriga e acaba procrastinando. Inclusive, a própria escolha entre dizer sim ou não acaba sendo adiada. A mente percebe que as duas opções levam para uma dor e o mecanismo de sobrevivência já entra em ação no momento da escolha.

e-book traços de caráter

Mas e aí, o que eu preciso fazer quando estiver nesse dilema?

O melhor caminho é dizer não o quanto antes para aquilo que você já sabe que vai procrastinar, além de ser claro e transparente sobre os motivos dos seus “nãos”.

Perceba que é o mais justo para os dois lados:

Justo para você que não precisará gastar tempo e energia com algo que não tem sentido para si e que ainda poderá te causar dor.

E justo para o outro, já que ele não gastará tempo esperando você tomar uma decisão ou se forçar a entregar o que concordou em fazer. Inclusive, entendendo os motivos de você ter se negado a fazer algo, ele poderá ajudar em algum acordo onde ambas as partes saiam satisfeitas, e será mais fácil descobrir como vencer a procrastinação.

É importante ter em mente que por mais que doa dizer não, é a escolha mais íntegra a se fazer. Pode acontecer do outro reagir mal a esse não? Sim, mas não significa que devemos fugir.

O que fazer no momento?

Tenha consciência que o modo como a outra pessoa reage ao seu nem sempre é uma escolha dela. Se ela levar reagir de qualquer forma negativa, será uma atitude dela que não determina o seu valor. Ainda mais importante: esse medo não nem pode impedir você de tomar a melhor decisão para sua vida!

Pode até ser que essa pessoa esteja lidando com as próprias dores do traço de caráter dela ao receber um não e reagir de forma negativa; entretanto, isso não é uma justificativa. Todos possuímos nossas dores, mas podemos buscar vencê-las, ao invés de ser guiados por elas, certo?

2º Pra quem não sabe onde ir, qualquer caminho serve!

Imagine dois pratos numa balança: um deles tem as “ações sem sentido” e a possibilidade de evitar a dor que surge ao dizer não. No outro prato não há nada, nenhum objetivo de vida que te anima.

Se a escolha é essa, simplesmente não haverá como vencer a procrastinação.

Pense bem: você vai dizer não para alguém, tendo que lidar com as consequências negativas, a troco de nada? Por falta de uma opção melhor, você escolhe a que tem. É a velha ideia de ruim com ela, pior sem ela.

Olha que forma horrível de levar a vida… Se esse for o seu caso, você precisará repensar o seu plano de vida com urgência, ou talvez criar um plano de vida do zero, como se tivesse uma folha em branco na mão.

Reflita por algum tempo: O que você está buscando para si mesmo? Onde quer chegar? Que sonhos e desejos possui? É hora de colocar algo na sua vida que faça seus olhos brilharem. Isso torna mais fácil e menos doloroso escolher o outro prato dizer não para o que não importa de verdade.

Descobrir como vencer a procrastinação, muitas vezes, é simplesmente descobrir algo que você faz por interesse, curiosidade ou paixão. É algo que te atrai, e portanto não precisa de força nem pressão para ser feito.

Talvez você tenha passado por tantas coisas sem importância para anestesiar suas dores ou seus traumas, que esqueceu como sonhar, desejar e se empolgar com algo.

Permita-se desejar de novo! Você só vai parar de procrastinar quando trouxer algo útil e necessário para a sua vida, assim, conseguirá dizer não, pois terá prioridades: um sim é a chave para mostrar como todo o resto é desnecessário!

Gostou de entender a procrastinação? Agora agende a sua mentoria gratuita para acabar com esse ciclo e ter uma vida mais feliz!

e-book traços de caráter

ENTENDA SEUS TRAÇOS DE CARÁTER  E APRENDA A SAIR DA DOR

E-BOOK TRAÇOS DE CARÁTER + 2 bônus