Chorar demais: é normal tanto choro?

chorar demais

Algumas pessoas choram apenas quando há uma grande perda, enquanto outras não passam uma semana sem enxugar as próprias lágrimas. Se você está no segundo grupo, já deve ter se perguntado se é normal chorar demais, ou se é possível chorar um pouco menos.

Nesse artigo vamos responder essas e outras questões sobre o choro, e você vai entender:

  • Porque algumas pessoas choram mais?
  • O que ganhamos ao chorar?
  • Como fazer as pazes com o meu choro?

Vamos lá?

Chorar demais é normal?

Antes de mais nada, é importante deixar claro que essa é uma reação natural do corpo humano, e vem para atender alguma necessidade, assim como tremer no frio ou suar no calor. Como tudo que é humano, chorar também varia de pessoa para pessoa, e não há uma linha clara determinando o normal ou o excessivo.

Chorar demais, portanto, é quase sempre relativo.

Há quem chore assistindo um filme romântico, após uma discussão, ou quando ganha um presente, por exemplo, e não podemos dizer que essas reações sejam anormais. Cada um de nós tem formas únicas para lidar com as próprias emoções: sorrir, chorar, conversar, ficar em silêncio, cercar-se ou afastar-se das pessoas. Essa diferença é a beleza do ser humano, certo?

Chorar demais é sinal de depressão?

De forma alguma! Precisamos ter muito cuidado para não transformar um comportamento em um diagnóstico, afinal tudo depende do contexto. Se você trabalhou muito para conquistar algo, pode ter chorado no dia em que conseguiu, mesmo num momento de grande alegria.

Este é apenas um exemplo. Podemos chorar de felicidade, raiva, chorar de lindo, e até mesmo de tristeza, sem que isso seja um sintoma de depressão.

Também podemos olhar pelo lado contrário. Muitas pessoas com sintomas ou transtornos depressivos manifestam seus sentimentos por caminhos que não sejam o do choro. Elas podem se isolar, deixar os relacionamentos e o trabalho de lado, começar a beber, e assim por diante, mas não derramam uma só lágrima.

e-book traços de caráter roxo

 

O choro e os traços de caráter: quem chora mais?

Existe um traço de caráter com tendência forte a chorar demais. Ele usa esse comportamento para expressar emoções que não se encaixam muito bem nas palavras, o que ajuda na comunicação com outras pessoas e também facilita a organização de sua vida interna.

Estamos falando do traço oral, que se forma entre o primeiro mês e um ano e meio de vida. Nesse momento, estamos desenvolvendo rapidamente os nossos sentidos para lidar com o mundo externo. A boca, acima de tudo, é uma via de contato, por conta do seu envolvimento na amamentação.

O maior desafio, nos primeiros meses, é comunicar os nossos sentimentos. Ainda não aprendemos a falar, e por isso o choro é a nossa única ferramenta.

Em alguns casos, o bebê vai chorar e não terá seus desejos atendidos, e assim o traço oral vai se formar por dois caminhos: o excesso ou a falta. No primeiro caso, as pessoas fazem de tudo: dão chupeta, amamentam, brincam e olham a fralda, mas não conseguem atender o bebê. No segundo, o problema está na demora em si, criando uma sensação de abandono.

Não devemos culpar os pais. Talvez a mãe esteja tomando banho, enquanto o pai faz a comida, ou eles simplesmente não sabem ainda o que esse choro significa. Mesmo que a resposta chegue rápido, em 5 ou 10 minutos, por exemplo, o bebê pode entender que não está sendo atendido.

Chorar demais e aperto no peito podem vir de mãos dadas

Chorar demais, para o traço oral, pode vir acompanhado de uma sensação muito bem definida: o aperto no peito. É algo tão forte que pode se tornar uma dor real, como se todo o corpo se contraísse para preencher um vazio nesta região.

O aperto, ou vazio, não é nada mais do que uma manifestação física da vida psicológica. Em outras palavras, a falta que o traço oral sentiu quando ainda era bebê se transforma numa sensação que fica marcada em seu corpo.

Também é comum ver alguém com um traço oral forte buscar maneiras externas de preencher o seu vazio, e acabar desenvolvendo algum tipo de dependência. A pessoa pode comer demais, tornar-se alcoólatra ou fumante, por exemplo.

Todos estes sinais mostram que ela está vivendo na dor, e não no recurso. Esses dois elementos são fundamentais para entender qualquer modelo de comportamento, e você pode entendê-los melhor em nosso artigo detalhado sobre o traço oral.

Em síntese, a dor do oral é a do abandono, surgida quando suas necessidades não foram satisfeitas nos primeiros meses; e seu recurso é o da comunicação emocional, permitindo conectar-se facilmente às outras pessoas.

Quando alguém está na dor, seus comportamentos farão de tudo para ajudá-la a fugir. Isso pode acabar ferindo tanto a própria pessoa, quanto aqueles ao seu redor. Já no recurso, os traços de caráter vão usar seus pontos fortes para construir situações e relacionamentos melhores, criando o bem para si e para os demais.instagram

O choro como chantagem emocional e vitimização

Uma combinação de traços do oral com o traço de caráter psicopata é incrivelmente cheia de recursos, mas também bastante perigosa. O psicopata é aquele traço das pessoas que são ótimas líderes. Elas têm um talento para convencer pessoas. O psicopata seduz e coloca muitas pessoas para trabalhar para um bem comum.

Por causa desse talento, se uma pessoa com porcentagem alta de traço oral e também psicopata estiver na dor, essa pessoa pode se vitimizar e fazer muita chantagem emocional. A pessoa faz de tudo para alcançar seus objetivos e é bastante convincente quando chora. Enfim, ela manipula quem for necessário até conseguir dos outros o que precisa.

Se você é pai ou mãe, é muito importante entender quando uma criança chora. Se ela precisa chorar, deixe-a chorar. Fique atento para entender quando o choro é do traço oral ou da manipulação do psicopata.

Se a criança está fazendo pirraça por algo que não será atendido, como querer brincar com algo perigoso, por exemplo, explique que você a ama e acolhe, e que ela pode chorar, mas que isso não vai fazer você mudar de ideia.

É importante ensinar a criança que manipular através do choro não é a melhor forma de ela conseguir o que precisa.

E quando eu não consigo chorar?

Opa, mas se chorar é importante, alguém com um traço oral forte que não chora muito está com problemas?

A resposta é: depende. Se chorar demais é normal, não chorar muito também pode ser.

O importante, aqui, é olhar com cuidado para os sentimentos. Se você não costuma chorar, mas sente aquele aperto no peito, ou não está conseguindo se livrar de algum excesso (comida, bebida, cigarro…), então sim, é provável que haja um problema.

Seja honesto(a) com seus sentimentos.

Às vezes, uma pessoa com traços de caráter combinados oral e rígido podem ter dificuldade em chorar.  O traço de caráter rígido é aquele das pessoas que buscam a perfeição inatingível. Chorar, para alguém com esse traço, pode ser um sinal de fraqueza. Então, o traço oral é reprimido pelo rígido na dor, e a pessoa não se permite chorar.

Quando não somos mais bebês, as pessoas podem ter pouca paciência, e falam que você já está grandinho(a) para  chorar demais, ou até mandam engolir o choro! Podemos dizer que, sem chorar, as suas emoções estão sendo acumuladas e vão buscar outra forma de satisfação – as quais podem ser negativas, como acabamos de ver.

Por outro lado, se você não chora muito, mas está sentindo-se bem com as suas próprias emoções, construindo bons relacionamentos e mantendo hábitos saudáveis, então como vamos dizer que há algo de errado?

Então você não está chorando porque não sente a necessidade, ou porque ouviu que isso era errado, e agora reprime as suas lágrimas? É algo que ninguém pode responder, a não ser você!

Como ajudar quem chora demais?

Essa é uma pergunta fundamental: ela serve para você lidar melhor com as suas próprias emoções, ajudar outras pessoas com o traço oral, ou mostrar aos seus amigos e familiares como eles podem te apoiar.

É importante entender, em primeiro lugar, que o oral não chora apenas por estar triste. Talvez ele queira apenas colocar algo pra fora, mesmo sem saber direito o que. Para ajudar quem chora demais, então, nossa primeira tarefa é dar espaço para que as emoções possam sair.

Sem culpa, sem motivo e sem infantilização!

Nada de se culpar (ou culpar outras pessoas) pelo choro! Também não é preciso encontrar ou dar explicações, você não precisa de um “porque” racional para estar chorando, afinal estamos falando de emoções e comportamentos surgidos nos primeiros meses de vida, antes de ganharmos o poder das palavras.

Quando não tiver uma explicação clara, basta afirmar: chorei por que precisava. Isso já é o bastante.

Se você está ao redor de alguém que chora muito, também não deve perguntar o porque, e não precisa tentar mostrar que “está tudo bem e não há motivo para chorar”. Ouvir isso pode fazer com que a pessoa se sinta mal, como se houvesse algum defeito que a faz chorar sem razão.

Obviamente, você também não deve reclamar do choro. Essa é a pior atitude imediata, pois despertará a dor de todas as vezes em que alguém disse “você já é grande pra isso”, “engula o choro”, e assim por diante.

Também não é recomendado infantilizar a pessoa que está chorando, falando coisas como “tudo bem meu bebê pode chorar comigo” ou fazendo voz de criança. Tanto quem chora quanto quem está ao redor precisa encarar esse comportamento com maturidade – podemos ser adultos e chorar!

e-book traços de caráter

Encontrando o seu recurso

Quando você reconhece um motivo e deseja expressá-lo, pode buscar alguém de confiança para conversar. O mesmo vale na direção oposta, tente dar espaço para que a outra pessoa compartilhe seus pensamentos, se ela acreditar que precisa, mas sem forçá-la a isso.

A expressão é uma forma simples de fazer com que o traço oral encontre seu recurso e possa ter uma vida com bem-estar e desenvolvimento pessoal.

Se não houver ninguém por perto, você também pode expressar os seus sentimentos através da arte: desenhe, pinte, cante, escreva, dance… A arte é uma forma de liberar sentimentos, assim como o choro e a conversa, e todos podem ser usados em diferentes momentos.

As sensações corporais também estimulam o recurso do traço oral. Um banho quente, uma vela cheirosa, incenso, uma comida muito saborosa ou uma caminhada na natureza com vento no rosto podem suprir o que o traço oral precisa.

Conclusão

Se ainda não ficou claro, eu vou falar mais uma vez: chorar demais é normal, e pode até ser saudável, se é disso que seu corpo e mente precisam.

O problema não está no choro em si, mas nas tentativas de reprimi-lo. Elas reforçam a culpa, a racionalização e a infantilização, tudo que impede o alcance dos nossos recursos! Chorar é cura, e se não dermos espaço para esse comportamento, pode até ser que as emoções criem um estado negativo, como os vícios ou o adoecimento.

Quem se identificou como oral pode aprender mais nesse artigo: Traço de caráter oral | O Corpo Explica.

Você também pode fazer uma mentoria gratuita para aprender mais sobre os diferentes traços de caráter, as dores e os recursos de cada um, além de entender quais deles estão influenciando a sua vida!

e-book traços de caráter

ENTENDA SEUS TRAÇOS DE CARÁTER  E APRENDA A SAIR DA DOR

E-BOOK TRAÇOS DE CARÁTER + 2 bônus